• Igreja Evangélica da Madalena

GÁLATAS 5: 16-26

Devemos ser determinados neste objectivo, é fundamental que a cada dia crucifiquemos o nosso desejo pecaminoso e façamos uso dos meios de santificação, ou seja, oração, leitura bíblica, participação nos cultos, assim estaremos andando no Espírito e vivendo para glória de Deus.

Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne. Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis. Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei. Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, fornicação, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus. Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito. Não sejamos cobiçosos de vanglórias, irritando-nos uns aos outros, invejando-nos uns aos outros.


No texto em apreço, Paulo fala do conflito entre a carne e o Espírito, mostra-nos ainda que o Espírito Santo é o nosso santificador, e o único que pode se opor à nossa carne e subjugá-la.

Sabemos que é Jesus Cristo que nos liberta. Mas sem a obra contínua, orientadora e santificadora do Espírito Santo, a nossa liberdade é deturpada.


Iremos ver que o texto referido pode ser dividido em duas partes:

A realidade do Conflito (vs. 16 – 23);
Caminho da Vitória Cristã (vs. 24, 25).

1. A Realidade do Conflito (vs. 16 – 23).

versículos 16 e 17 = “Por isso digo: Andai em espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne.


Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito; e o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que não sabemos o que desejamos”.


O texto faz referência aos combatentes do conflito cristão, a carne e o Espírito. À luz da Bíblia, podemos afirmar que a “carne” representa o que somos por natureza e o “Espírito” o que nos tornamos pelo novo nascimento, o nascimento do Espírito. Estes dois, a carne e o Espírito vivem em grande oposição.


Consideremos agora o tipo de comportamento através do qual se expressam as duas naturezas:


1.1 As Obras da Carne (vs. 18 - 21).

As obras da carne são manifestas, ou seja, as palavras e os atos pelos quais se manifesta, são públicos e evidentes. A partir do versículo 19 ao 21, Paulo elabora uma lista que abrange quatro áreas: sexo, religiosidade, sociedade e alimentação.


Observemos:


a) Sexualidade: Prostituição – qualquer tipo de comportamento sexual ilegal (casos extra-conjugais, luxuria, Orgias etc). Impureza – comportamento anormal envolve pensamentos pecaminosos. Lascívia – um público e atrevido desprezo pelo decoro (várias músicas contemporâneas contribuem para a lascívia).


b) Religiosidade: Idolatria – culto prestado a falsos deuses, pessoas, celebridades, dinheiro, etc…. Feitiçaria – intercâmbio secreto com os poderes do mal (macumbaria, cartomancia, búzios, necromancia, vidência, etc.).


c) Sociedade: ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, inveja, etc… – tudo isso contribui para a separação e inimizades entre as pessoas em seu convívio social.


d) Alimentação: Bebedices – embriaguez. Glutonaria – excessos alimentares. Tanto uma coisa quanto outra aconteciam em festas gregas e romanas.



1.2 O Fruto do Espírito (vs. 22, 23).

Temos aqui um aglomerado de nove graças cristãs que parecem descrever a atitude do cristão para com Deus, o próximo e ele mesmo.


a) Atitude do Cristão em Relação a Deus: Amor, Alegria e Paz – o primeiro amor cristão deve para com Deus, sua principal alegria deve ser em Deus e a sua paz mais profunda é a sua paz com Deus.


b) Atitude do Cristão em Relação ao Próximo: Longanimidade, Benignidade, Bondade – são virtudes sociais, expressam as qualidades para que tenhamos relacionamentos saudáveis; Longanimidade é a paciência em relação aos que nos irritam e perseguem; Benignidade é uma questão de disposição; Bondade se expressa em palavras e atos.


c) Atitude do Cristão em Relação a Si Mesmo: Fidelidade, Mansidão e Domínio Próprio – Fidelidade - descreve uma característica de alguém que é confiável. Mansidão - significa poder sob controle, humildade e por fim Domínio Próprio – autocontrole.


Todas essas características são o fruto do Espírito, o produto natural que aparece na vida dos cristãos dirigidos pelo Espírito Santo. “Contra essas coisas não há lei” (vs. 23), pois a função da lei é controlar, restringir, impedir, e aqui não há necessidade de limitações.


Depois de analisar a realidade do conflito, Vejamos:


2. O Caminho da Vitória Cristã (vs. 24, 25).


No versículo 24: “E os que são de Cristãos crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências”. Devemos crucificar a carne, nós é quem crucificamos nossa velha natureza, a ideia é de dia a dia matar nossa natureza pecaminosa. “Agora não se trata de morrer, o que já experimentamos através da nossa união com Cristo, é antes um deliberado”.

Tomamos a nossa velha natureza egocêntrica, com todas as suas paixões e desejos pecaminosos, e a pregamos na cruz.


No versículo 25: “Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito”. Devemos andar no Espírito, no verso 16 afirma que somos guiados pelo Espírito, há passividade de nossa parte. Contudo, no verso 25, a expressão está na voz activa, indicando que nós é que devemos andar no Espírito.


Então, andar no Espírito, é andar de acordo com a linha que o Espírito Santo estabelece, o Espírito nos guia, mas nós temos de andar no Espírito, de acordo com as suas regras.


CONCLUSÃO:


1. Precisamos Entender Que a Vida Cristã Inclui Um Grande Conflito Entre a Carne e o Espírito.

Isto acontece porque a partir da conversão o Espírito Santo passou a habitar em nós, sendo assim, a carne e o Espírito vivem numa luta constante.

Quem não crê também não enxerga este conflito.


2. Precisamos Entender Que o Caminho Para Vencer é a Mortificação da Carne e Um Andar Contínuo no Espírito.

Devemos ser determinados neste objectivo, é fundamental que a cada dia crucifiquemos o nosso desejo pecaminoso e façamos uso dos meios de santificação, ou seja, oração, leitura bíblica, participação nos cultos, assim estaremos andando no Espírito e vivendo para glória de Deus.

2 visualizações
Morada da Igreja

Largo Cabine 100,

4405-732 Vila Nova de Gaia - Madalena

914 359 378

igrejaevangelicadamadalena@gmail.com

  • Grey YouTube Icon
  • Grey Facebook Icon

Contato