• Igreja Evangélica da Madalena

Salmo 23

"O Senhor é o meu pastor," Salmos 23:1

Davi revela aqui "o segredo" do sucesso do seu reinado. Ele foi o chefe do maior reino que Israel já teve. O próprio messias seria conhecido como "o filho de Davi". Estes versos falam da felicidade daqueles que aceitam a liderança divina em suas vidas.

O salmista era rei, porém se coloca como apenas uma ovelha do rebanho do supremo pastor. É um exemplo de humildade e de submissão à vontade de Deus.

É também uma referência profética futurística que viria a se cumprir centenas de anos depois, em Jesus, que aludindo a este Salmo, o Mestre se declara como o Bom Pastor.


"nada me faltará." Salmos 23:1


Jesus certa vez ilustrou o carinho e o cuidado do Pai em prover e atender todas as necessidades materiais dos seus discípulos. Ele tem cuidado de nós, e reforça que devemos estar constantemente na sua dependência, confiando na sua providência.

"Deitar-me faz em verdes pastos" Salmos 23:2


A Palestina é uma região tropical, onde praticamente predominam duas estações, o inverno, a estação das chuvas que vai de novembro a abril, e o verão, período da seca, que vai de maio a outubro.

Nos primeiros dias de abril, a vegetação recente, oferece um espetáculo maravilhoso, um explendor verde, um tipo de mosaico multicolorido, excelente para a pastagem dos rebanhos.

Porém, a medida que o verão e o calor do sol se tornam mais intensos, o verdor e as flores secam, tornando muito mais difícil de se encontrar um local com alimento suficiente para as ovelhas. Isto obriga os pastores seguirem em uma cansativa peregrinação em busca de pastos verdes.

Mas Davi afirma que o Senhor o convida a descansar em pastos verdejantes. Jesus nos ensina que Ele possui em abundância o alimento que suas ovelhas necessitam. Aquele que for a Jesus, achará pastagens durante todo o ano.

Mesmo que o mundo esteja no período de seca espiritual, nós entraremos no repouso de Jesus. O Mestre tem o alimento espiritual que sacia a nossa fome. As suas palavras são espírito e vida, o verdadeiro pão que desceu do céu.

"guia-me mansamente a águas tranqüilas." Salmos 23:2


As ovelhas são naturalmente animais muito inquietos. Qualquer perturbação as assusta, não conseguem deitar-se se não sentirem que estão totalmente seguras. As ovelhas também têm receio dos rios caudalosos e turbulentos.

Mas em Jesus, elas podem estar sossegadas, pois o Senhor as suprirá com águas tranquilas. Um ribeiro cristalino de águas calmas passa a correr no interior daqueles que são tocados pelo Espírito de Deus. A palavra é a água que mata a nossa sede espiritual, formando em nós uma fonte de águas vivas, que jorra para a vida eterna.

"Refrigera a minha alma;" Salmos 23:3


A Palestina é de extensão relativamente pequena, entretanto, o seu clima é extremamente variado, dependendo da localidade em que se encontramos. Há a zona tropical do baixo Jordão, com altas temperaturas, a região desértica que contrasta com a marítima e vice-versa.

E na região da alta Galiléia, que também é tropical, com calor intenso, em determinado horário, o sol é tão escaldante, o clima fica tão abafado, que fica difícil até de seus habitantes se alimentarem.

Porém quando o vento do norte sopra mais forte, traz um refrigério, um sopro de frescor que vem do monte Hermom. O monte Hermom fica no norte de Israel e há em seu cume uma grande quantidade de neve, que quando há vento, ajuda a trazer este refrigério, amenizando a temperatura da região.

"guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome." Salmos 23:3


Guiar as ovelhas era uma das funções do pastor. E nos campos de Israel, os pastores buscavam passagens que facilitassem a condução do seu rebanho, sem que suas ovelhas se desviassem pelos mais diversos caminhos.

As veredas são passagens estreitas entre a vegetação, onde não há espaço para desviar-se nem para a direita, nem para a esquerda. É um caminho reto, onde as ovelhas podem percorrer com segurança, seguindo sempre pra frente, até chegar ao aprisco, sob a liderança e a proteção do pastor.

E o Senhor nos convida e trilhar pelo caminho da retidão e da justiça. O caminho que leva a Deus realmente é estreito, não se pode olhar para os lados, é preciso prosseguir em direção ao alvo, que é Jesus.

"Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo;" Salmos 23:4


Há em Israel um vale profundo e íngreme, onde a luz só consegue atingir a sua base quando o sol está em toda a sua força, ao meio dia. Após esse horário, faz se sombra durante o restante do dia.

Certamente Davi conheceu este vale em suas peregrinações com suas ovelhas, pela Palestina. Vales são o extremo contrário de montes. Montes são lugares altos, falam de vitórias. Vales porém, são lugares baixos que ficam entre os montes.

Vales falam de dificuldades, tempos de sofrimentos, de angústias. Em nossa caminhada por este mundo, podemos enfrentar situações e circunstâncias difícies de se resolver. Muitos problemas de diversas naturezas podem chegar até nós.

"a tua vara e o teu cajado me consolam." Salmos 23:4


A vara e o cajado eram ferramentas do pastor para resgatar, proteger e guiar as ovelhas. A vara servia para proteger as ovelhas dos animais ferozes e dos ladrões. O cajado era usado para erguer uma ovelha pelo corpo ou pelas pernas, quando esta ficava presa entre pedras.

Estas ferramentas eram símbolo do zelo amoroso do Senhor, que está em uma vigília constante ao nosso lado, levando-nos para a segurança da sua presença.

E o supremo Pastor deixou a sua glória para resgatar as ovelhas perdidas do seu rebanho. O seu cajado, a sua palavra, está pronto a nos erguer para nos livrar da armadilha e da prisão do pecado.

"Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos," Salmos 23:5


Davi confiava que a providência de Deus era tão grande, que os seus inimigos não conseguiriam vencê-lo, e que eles veriam mais adiante a benção do Senhor visível em sua vida. Esta palavra também era profética, e anuncia ainda hoje a vinda do Messias Jesus, quando todos o verão, até aqueles que o transpassaram na cruz.

"unges a minha cabeça com óleo," Salmos 23:5


Era costume no antigo oriente, no meio da refeição, o anfitrião ungia a cabeça do convidado de honra, com uma gota de óleo perfumado. O óleo também simboliza o Espírito Santo. Deus mostra que somos seus convidados especiais para o seu banquete, as bodas do cordeiro.

E o Senhor nos ungiu e nos perfumou com o seu Espírito. O óleo precioso que desce sobre nossas cabeças, penetrando nas nossas mentes, perfumando o nosso entendimento, chegando até a nossa alma. Bendito é aquele que recebe essa unção sobre a sua vida.

"o meu cálice transborda." Salmos 23:5


Durante a refeição, de uma maneira geral, o cálice simbolizava a alegria. E a unção do Espírito Santo, traz uma alegria que transborda o nosso ser. É a alegria da salvação, do reencontro com aquele que é o autor da nossa vida, da volta ao nosso Pai celeste.

Jesus afirmou que há uma festa no Céu quando um pecador se arrepende. O cálice da alegria da salvação transborda, há abundância de alegria quando somos alcançados por tão sublime e imerecido perdão.

"Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida;" Salmos 23:6


O verbo [seguir] tem aqui o mesmo sentido, no original hebraico, da palavra utilizada para descrever o ato de caçar de um animal selvagem. Quando o Senhor é o nosso Pastor, ao invés de sermos perseguidos por feras selvagens, somos seguidos pela bondade e pela misericórdia, que descrevem o amor leal de Deus.

"e habitarei na casa do SENHOR por longos dias." Salmos 23:6


Mais do que uma promessa terrena e material, esta palavra também é uma profecia do Reino eterno do nosso Senhor Jesus, em cuja presença estaremos para sempre, usufruindo das suas promessas e de suas bençãos, vivendo eternamente com Ele.

3 visualizações
Morada da Igreja

Largo Cabine 100,

4405-732 Vila Nova de Gaia - Madalena

914 359 378

igrejaevangelicadamadalena@gmail.com

  • Grey YouTube Icon
  • Grey Facebook Icon

Contato